Paulo Almeida: Charters de fim de ano já estão no mercado mas “pode haver mais alguma coisa”



Paulo Almeida, diretor comercial da Solférias fala ao Turisver das operações charter de fim de ano, nomeadamente, Brasil, Cabo Verde e Funchal, deixando no entanto em aberto a possibilidade de surgirem novas apostas. Até lá ainda há vários meses e o responsável garante que para setembro ainda há vagas nos charters.

Quais são as grandes apostas que a Solférias tem estado a colocar no mercado para o fim de ano?

A aposta de maior destaque, até porque se trata de operações charter que apenas temos para o fim de ano, é o Brasil, com voos Maceió e Salvador, sendo que para Salvador da Bahia temos um voo à partida do Porto, no dia 26 de dezembro com regresso marcado para o dia 2 de janeiro e para Maceió vamos ter um voo à partida de Lisboa, no dia 27 de dezembro, que faz Lisboa-Porto-Maceió na ida e no regresso faz Maceió-Porto-Lisboa sendo o regresso dia 3 de janeiro.

Para além disso temos a operação charter para o Funchal, com dois voos à partida de Lisboa e dois voos do Porto.

Já para Cabo Verde, temos uma operação charter, com partidas de Lisboa e do Porto, que começa em novembro e vai até ao fim do ano, a que acresce um voo extra à saída de Lisboa, no dia 27 de dezembro. Esta operação charter tem uma alteração na partida de 18 de dezembro em que faz oito noites no Sal, para depois compensar de forma a que o voo seguinte não saia a 25 de dezembro mas no dia 26. Desta forma, o voo de dia 18 proporciona aos turistas a passagem do Natal na ilha do Sal. No caso das saídas do Porto, a operação especial que começa a 28 de Novembro e se estende até dia 2 de janeiro de 2023 [data do último regresso], permite a passagem do ano em Cabo Verde.

Para já, a nível de operações charter é o que temos e é o que já está no mercado embora possa ainda, eventualmente, surgir mais alguma coisa, mas como ainda não há mais nada ao certo não queria antecipar.

Estamos também a programar o Senegal com voos regulares da TAP para Dakar, em que estamos a apostar principalmente na partida de dia 26 de dezembro, um pouco também para darmos continuidade ao programa que tínhamos no verão.

Hotéis Vila Galé são um produto de confiança

parte da programação assenta efetivamente nos hotéis da Vila Galé, que é o que mais vendemos e também porque é um produto de confiança a que o cliente português está habituado e de que gosta.

Em Cabo Verde a passagem de ano é bem comemorada, à imagem daquilo que os portugueses gostam?

Quem procura Cabo Verde no fim de ano não o faz tanto pela festa de réveillon em si própria mas sim pelo bom tempo e para gozarem férias num destino que é próximo. Quem vai para um destino nesta época do ano por causa dos festejos escolhe principalmente a Madeira.

Já há muitas agências de viagens a contactar-vos por causa da programação de fim de ano?

Já desde junho que os contactos dos agentes de viagens são frequentes, principalmente para saberem a programação para o Brasil porque é aquele destino para onde só temos uma operação charter para cada um dos sítios. A oferta é reduzida e as pessoas começam logo a querer marcar, principalmente no que toca aos lugares em executiva.

Porque é que este ano resolveram fazer um voo Lisboa-Porto-Maceió?

Porque há uma tradição muito grande relativamente às saídas do Porto e para já estamos com este “toque”. Como o voo de Salvador apenas tem saída do Porto, resolvemos ter saída de Lisboa no voo de Maceió, apanhando depois os clientes do Porto.

Um dos parceiros desta operação charter é a Lusanova, mas isso é apenas para a venda no Brasil?

Sim, é do Brasil para Portugal, ou seja, a Lusanova faz o incoming do cliente brasileiro para cá.

Solférias ainda tem disponibilidade em charters para o mês de setembro

Até ao final do ano, o que é que a Solférias tem ainda para vender?

Para o mês de setembro ainda temos muita coisa, ainda temos disponibilidade em todos os destinos que operamos em charter. Para o Senegal e para Hurghada temos ainda bastante disponibilidade, para o Sal também e depois temos todos os destinos que operamos em voos regulares.

A Solférias teve clientes afectados pelos recentes problemas no hotel Be Live em Saidia?

Tivemos e há situações que estão ainda a ser resolvidas. Na altura propusemos a alteração do hotel para todos os nossos clientes, houve alguns clientes que disseram que sim mas depois acabaram por não aceitar, os clientes que quiseram trocar de hotel trocaram sem custos acrescidos. O hotel foi limpo, a cozinha foi desinfetada e houve muita gente que ficou lá e que depois não teve mais problemas.

E os clientes que ainda não tinham embarcado, puderam trocar de hotel?

Nós não podemos trocar hotéis só porque dias ou semanas antes houve um problema, até porque ele foi resolvido. Portanto, quem quis trocar de hotel pôde fazê-lo mas com os encargos inerentes.

Recentemente, a Solférias fez uma nova contratação para a equipa comercial.

Contratámos o Bruno Pinho para a equipa comercial para reforçar a zona norte, onde ficará a trabalhar com o Eduardo Falcão. A Solférias pretende estar cada vez mais próxima dos agentes de viagens e o facto de apenas termos, até à data, uma pessoa no norte era insuficiente para o grau de proximidade que queremos ter.

O Bruno já esteve a semana passada aqui no escritório e agora vai começar aos poucos a fazer as suas visitas, durante uns dias irá andar acompanhado pelo Ivo Batista.


in turisver

75 visualizações